_______________________________

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Voz de Zatonio Lahud Neto

No Botafogo, depois da tragédia vem a desgraça. No Botafogo, depois da tempestade vem a lambança.” – Zatonio Lahud Neto, grande Botafoguense editor do blogue ‘Interrrogações’.

Nota do Mundo Botafogo: E existirá ainda algo para uma lambança depois da trágico-lambança protagonizada pelo presidente NÓDOA?... Que, lembremo-nos, foi apoiado pelo Carlos Augusto Montenegro, que apoiara a candidatura do ex-presidente Palmeiro, e que apoiara a candidatura do ex-presidente Rolim, e que apoiara a candidatura do ex-presidente Bebeto de Freitas no 1º mandato, e que agora apoia a candidatura de Thiago Alvim, a qual também é apoiada por Rolim, Palmeiro e Bebeto! E que se ganhar a lista que apoia será certamente o último apoio que dará, porque depois disso o Botafogo abduzir-se-á...

O futebol europeu entregue à parcialidade e à estupidez


A UEFA, entidade máxima do futebol europeu, é liderada por um estúpido de quatro costados, chamado Michel Platini, que deixa as arbitragens fazerem o que querem nos campos de futebol, que é contra a tecnologia instalada no campo e que ‘acha’ que a Bola de Ouro devia ser dada a um atleta alemão, e não a Cristiano Ronaldo ou a Lionel Messi, ou qualquer outro melhor do mundo, porque, segundo ele, era assim até 2010: a Bola de Ouro premiava um jogador que ganhasse a Copa do Mundo. Portanto, devia ir para um alemão neste ano. Logo depois, o estúpido dirigente acrescenta que Cristiano Ronaldo e Lionel Messi são de longe os melhores jogadores do mundo.

O estúpido já anteriormente se manifestara contra a ‘monotonia’ da Bola de Ouro ir de Ronaldo a Messi, de Messi a Ronaldo e aí por diante. Disse, no início do ano, que a continuar assim, os próximos anos continuariam a alternar a Bola de Ouro entre Cristiano Ronaldo e Lionel Messi. Pois… e deveria ser de outra forma tratando-se dos dois melhores futebolistas do mundo disparados à frente de todos os outros?

Quer dizer, a Bola de Ouro, que premeia o melhor jogador do mundo, na ótica deste anormal, devia premiar, em ano de Copa do Mundo, não o melhor jogador do mundo mas um qualquer jogador de uma equipe campeã da Copa que tenha sido destaque ou não entre os demais. Quer dizer, se um novo e extraordinário jogador de futebol nascer no Chipre, jamais poderá ganhar a Bola de Ouro num ano de Copa do Mundo, mesmo que tenha sido infinitamente superior a qualquer jogador da Seleção campeã do mundo pela simples razão que o Chipre jamais será campeão mundial.

Talvez até Cristiano Ronaldo e Lionel Messi não devessem ter ganho, até aqui, seis Bolas de Ouro, já que tudo indica que nenhum deles chegará a ser Campeão Mundial pela sua Seleção. Isto é, eles trabalhariam, e trabalham, para ser os melhores do mundo, enquanto os premiados seriam os outros...

A estupidez humana não tem limites!

Como é que um estúpido chega a um cargo de tão alta importância?

Sporting 3x4 Pocilga dos Boches

Confesso que nunca havia visto um Sporting tão aguerrido, tão batalhador, tão convicto do seu valor. Mas…

Há sempre um mas nas coisas da vida… o Sporting é um time com 7 portugueses, faz parte de um país pequeno e ainda para mais situado no Sul da Europa… Os alemães são os ´senhores’ da Europa, arrogantes e dispostos à dominação custe o que custar, mesmo depois de terem perdido duas guerras mundiais que achavam que ganhariam facilmente, tal a sua 'superior' raça ariana, país usurário que esmifra economicamente os países do Sul e que no futebol não poderia ser diferente.

A ladroagem crescente nos campos da Europa contra as equipas turcas, gregas, portuguesas, suecas, entre outras, em favor principalmente dos alemães, mas também de clubes como o Barcelona, o Manchester, a Juventus, é uma pouca-vergonha que enlameia a tão apregoada civilização dos descobrimentos, do iluminismo, da liberdade e da igualdade, da comuna de paris  e do maio francês, das artes e das letras, da cidadania e do Estado Social e outros atributos que no que tange a desportivismo não passam de uma pocilga onde chafurdam os mais desonestos dirigentes e árbitros do futebol europeu.

O Sporting vai à Alemanha, sítio dificílimo para qualquer equipe ganhar, e começa por Slimani, o ponta de lança, sair lesionado. Maurício recebe um amarelo e depois o Sporting inaugura o marcador. Vai daí o árbitro ‘acha’ uma segunda falta de Maurício que, na ótica do surripiador do apito, é para amarelo, e expulsa Maurício aos 32 minutos de jogo por acumulação de amarelos, injustamente. Na sequência da falta o goleiro sportinguista toma um franco (de vez em quando acontece-lhe isso, apesar de ser o melhor goleiro do país e um dos melhores da Europa). Noite de azar, que associada à ladroagem, derrota a o Sporting.

Os alemães acabam por desempatar com um gol em impedimento do Schalke, que o árbitro fingiu não ver, convencido certamente que a partida estava selada. Depois o Schalke aumenta para 3x1, mas eis que este Sporting é de fibra, reduz para 2x3 e acaba por empatar em 3x3, com um jogador a menos. Como o resultado não correspondia à encomenda, eis que ao minuto 97, a um do fim dos acréscimos, a bola bate no rosto de um sportinguista e o árbitro russo (creio que é mais soviético que russo…) marca… pênalti: 4x3.

Quer dizer, a besta do árbitro ‘não viu’ o impedimento, mas já conseguiu ‘ver’ o que não ocorreu: um pênalti inventadíssimo, ao 92º minuto, que nem o fantasma Gasparzinho seria capaz de inventar. É a cara chapada dos árbitros cathartiformes que dão títulos atrás de títulos ao asqueroso flamengo.

Cartões amarelos para os boches?... O ‘soviético’ não achou nem um…

E quem diz que os árbitros russos são fracos, um sportinguista respondeu assim na rede social: “Os árbitros não são fracos, estão é muito bem orientados pelos poderosos; há muitos Platinis por essa Europa fora.”

Estes comportamentos são tanto mais assustadores quanto nem Sporting nem Schalke têm possibilidade de ser campeões europeus e ambos cairão fora em próxima oportunidade, porque os seus plantéis não conseguem ser competitivos contra os ‘monstros’ do futebol europeu da Liga dos Campeões. Somente poderão sê-lo na Liga Europa.

Cada vez mais odeio esta gente do futebol que não respeita o esforço, o trabalho e a qualidade dos adversários. Esta gente que rouba descaradamente, mas que se algum dirigente se rebela contra os árbitros e as comissões de arbitragens, eis que é punido sem apelo nem agravo à boa maneira europeia do hitler e à boa maneira sul-americana do pinochet.

Sinto um profundo desprezo por esta gente.

Cada vez menos me interessa ver futebol em que os vencedores são ‘decididos’ nos bastidores e em que a ditadura da FIFA e das Comissões de Arbitragens pulula alegremente de campo de futebol em campo de futebol.

Estou sinceramente farto dos Flamengos, dos Barcelonas, dos Manchesters, dos Bayerns, das Juventus, dos Alemães e de toda a canalha que por ser quantitativamente superior quer à força ser qualitativamente aquilo que realmente nunca será – gente de bem, honesta, ética e sem necessidade de ser levada ao colo pelos senhores dirigentes confederativos e federativos, pelas comissões de arbitragens e os seus árbitros vagabundos.

O jovem treinador do Sporting, de uma qualidade humana e profissional surpreendente, apenas comentou: “A equipe deu uma resposta fantástica, conseguimos chegar ao empate com todo o mérito. Depois aconteceu o que não é normal. É tão notório, não me apetece dizer nada”.

O craque-revelação, William Carvalho: “Estamos revoltados porque o que se passou foi uma vergonha. Sofremos um gol em impedimento e outro num pênalti inexistente. O campo estava inclinado. Foi uma vergonha.”

Ainda estou para perceber como é que eu e milhões de adeptos em todo o mundo ainda suportam tanta canalhice. Um dia destes faço o que eles parecem querer que façamos: desistir do futebol. Pelo menos em inúmeras modalidades desportivas a roubalheira é muito mais difícil de acontecer: atletismo, basquetebol, ciclismo, halterofilismo, handebol, remo, voleibol…

Cada vez sou mais atletismo, ciclismo e remo…

Que podridão futebolística!

FICHA TÉCNICA
Sporting 3x4 Schalke 04
» Gols: Nani, aos 16’, Adrien Silva, aos 64’ (pen) e 78’ (Sporting); Obasi, aos 34’, Huntelaar, aos 51’, Howedes, aos 60’ e Choupo, aos 90+2 (Schalke 04)
» Competição: Liga dos Campeões
» Data: 21.10.2014
» Local: Arena AufSchalke, Alemanha
» Árbitro: Sergei Karasev (Rússia); Anton Averianov e Tikhon Kalugin
» Disciplina: cartão amarelo: Cédric, nani e Maurício (Sporting);
» Tática: 4x3x3 no início e 4x4x1 no fim (Sporting); 4x2x3x1 no início e no fim (Schalke 04)
» Sporting: Rui Patrício; Cédric, Paulo Oliveira, Maurício (Sarr) e Jonathan Silva; João Mário (Capel), Adrien Silva e William Carvalho; Nani, Slimani (Fredy Montero) e Carrillo. Técnico: Marco Silva.
» Schalkr 04: Fahrmann; Uchida, Howedes, Ayhan e Aogo; Neustadter, Hoger e Max Meyer; Choupo, Sidney Sam e Huntelaar. Técnico: Roberto Di Matteo.

Lógica...


A lógica que não da batata:
O Brasil levou 7 da Alemanha no Mundial,
com um tal de Júlio César na baliza.
A Alemanha ganhou a final contra a Argentina.
A Argentina recentemente foi à Alemanha
ganhar aos mesmos por 3 a 1 e sem o Messi a jogar.
O Brasil ganhou muito recentemente da mesma Argentina
em terreno neutro e com o Messi a jogar
e a marcar um pênalti que o guarda-redes do Botafogo,
suplente no mundial, o Jefferson, defendeu...
A lógica?
O Botafogo é Campeão do Mundo!
Tem coisas que só acontecem mesmo ao Botafogo!
Quase a ir para a Segundona
no mesmo ano em que é Campeão do mundo.

Leonel de Jesus, Lisboa, 2004

Nota do Mundo Botafogo: Diz o provérbio que “de poeta e louco todos temos um pouco…“ Abraços Gloriosos, Leonel.

Homenageando o Dia do Poeta

A última crônica de Paulo Marcelo Sampaio


por Paulo Marcelo Sampaio

Quisera eu acreditar que os últimos serão os primeiros. Dito isto comunico que este blog vai tirar férias. Por tempo indeterminado. O Botafogo, independentemente de resultados, tem me aborrecido muito. Um dia o Arquiba Botafogo voltará!

Paulo Marcelo Sampaio, 9 de outubro de 2014

Botafoguense é esquisito. Vai da euforia à depressão em segundos. Basta assistir um lance fugaz de genialidade e logo eleva o jogador a Deus. E em seguida o crucifica depois de uma furada bisonha. Outras constatações: não arrotamos números. Não medimos nosso amor pela superioridade. Ir ao estádio não é uma busca pelo prazer. É uma obrigação. Como se a atuação do nosso clube, nos campos de futebol, nas raias do remo, dependesse da nossa presença, dos nossos guias, dos nossos patuás, dos nossos rosários.

Hoje, ver nossa camisa entrar em campo, fruto de sonhos juvenis, já nos basta. Celebramos vitórias improváveis, mesmo que elas não nos levem a lugar algum. E já nos resignamos com derrotas, mesmo aquelas difíceis de acontecer. Já vamos aos estádios prevendo o pior. Dia desses encontrei um amigo, síntese do nosso pessimismo. Não era bom sinal. Como não é bom sinal o silêncio da torcida antes dos jogos. As grades que dão um toque de ordem à entrada da torcida parecem caminho para o sacrifício, como passos e olhos bovinos prevendo o abate.

A cada dia as notícias pioram. É tanta coisa ruim que a frequência por aqui anda escassa. Sou cobrado por isso – acreditem! – por meus oito leitores, entre eles Yeroshi, o mais botafoguense dos cubanos. Mas há solução. Passando pela avenida Francisco Bicalho, zona portuária do Rio de Janeiro, no começo da noite de domingo, procurava adivinhar a região onde o Botafogo construiria seu estádio, em parceiro com um grupo português. Vivíamos a época de Bebeto de Freitas. O projeto não saiu do papel. Expliquei tudo isso a João Marcelo, triste ao meu lado. “Por que o João Moreira Salles não constrói um estádio pra gente aqui? Tem tanto lugar abandonado…”, observou meu filho. “Nosso lugar é em General Severiano, JM!”, respondi. “Vou escrever pra ele, pai!” Escreva, filho, escreva.

Paulo Marcelo Sampaio, 3 de outubro de 2014

Nota do Mundo Botafogo: É esta situação e estes sentimentos que a presidência de Maurício Assumpção nos deixa como legado. E, contudo, essa tal ‘torcida esquisita’ vibrou com o reingresso do irresponsável Jobson achando que ele ‘vai deslanchar’, está sempre pronta a acreditar que uma vitória nos traz uma sucessão delas, aceita um presidente silencioso sobre o Engenhão, atura decisões de lesa patrimônio futebolístico tal como a vingança pura e simples do NÓDOA sobre quatro dos menos maus atletas botafoguenses e, pior que tudo isso, ainda há botafoguenses que defendem a Chapazul de Thiaguinho, comandado por Carlos Augusto Montenegro, o homem que elegeu todos os presidentes – exceção de Bebeto de Freitas no 2º mandato – e que, por conseguinte, é altamente co-responsável pela eminente destruição do Glorioso Botafogo de Futebol e Regatas.

Sempre que tenhas vontade de publicar uma crônica, Paulo Marcelo, o espaço do Mundo Botafogo é teu. Abraço solidário.

BOTAFOGO É BI-BI-BI CAMPEÃO DE REMO 2014!

Imagem: Vítor Silva - SSpress

Após sagrar-se bicampeão brasileiro de remo sênior e bicampeão brasileiro de remo júnior, o Botafogo tornou-se pela primeira vez bicampeão estadual de remo na 6ª e última regata do ano, organizada pela Federação de Remo do Estado do Rio de Janeiro, que decorreu no domingo, dia 19 de outubro de 2014, na Lagoa Rodrigo de Freitas.

O Botafogo venceu quatro regatas e o Flamengo duas, ambas por margem mínima de dois pontos. O nosso Clube conquistou 41 provas nas 6 regatas do campeonato estadual, praticamente à média de 7 medalhas de Ouro por regata. Eis todas as provas em que o Botafogo conquistou o 1º lugar:

1ª REGATA

DOUBLE SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M
BOTAFOGO A (Lucas Vertheim Ferreira e Bernardo Timm Boggian), em 4’42”
2º Flamengo B (Vitor Delfior Falcon e Bruno Soares de Oliveira), em 4’44”
3º Flamengo A (Lucas Tarrago Carvalho Vieira e André Luiz Martins Abreu), em 4’54”

SINGLE SKIFF – PESO LEVE  S23 – 2.000M
BOTAFOGO A (Guilherme Ricardo Gomes), em 6’10”
Botafogo B (Marciel Morais Souza), em 6’16”
3º Flamengo A (Saulu Pena de Oliveira), em 6’17”

SINGLE SKIFF – INFANTIL – 500M
BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria), em 1’49”
2º Vasco da Gama A (João Elias de Lima Soares), em 1’55”
3º Flamengo B (Gabriel Soares da Silva), em 2’16”
   
4 COM – ASPIRANTE – 2.000M
BOTAFOGO A (Carlos Alberto Ferreira Santos, Fellipe Reyson de Souza Xavier, Alejandro Yimaz Luy, Willian Silva Calixto e Tiago de Melo Castro), em 6’55”
2º Vasco da Gama A (Brenner Chagas de Mello, Matheus Cardoso da Silva Paulino, Paulo Sillas Marques Aguiar, Wallace Miranda Correia dos Santos e Raimundo Eduardo Ximenes de  Oliveira), em 6’56”
3º Grêmio Remo/Vela Escola Naval A (Thiago Lage, Gabriel de Brito Coelho, Augusto Silva Bello dos Santos, João Herbert Pontes Teixeira e Victor Luiz Fabregas Surigue Sobreira), em 7’07”

SINGLE SKIFF – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista), em 7’20”
2º Botafogo B (Augustin Suleiman Wambersie), em 7’27”
3º Vasco da Gama A (Matheus Freitas de Souza), em 7’31”

2 SEM – ABERTA – 2.000M
BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva e Anderson Nocetti), em 6’45”
2º Flamengo B (Maciel Costa da Silva e Pedro Henrique Drumond Gondin Meirelles), em 6’52”
3º Flamengo A (Thiago Almeida e João Hildebrando Borges Júnior), em 6’56”

8 COM – S23 – 2.000M
1º BOTAFOGO A (Marciel Morais Souza, Felipe Soares da Silva, Uncas Tales Batista, Augustin Suleiman Wambersie, Guilherme Ricardo Gomes, José Antônio Barchilon de Castro, Daivid Faria de Souza, Dickson Grael  Macedo e Pablo Padovani), em 5’59”
2º Flamengo A (Samuel Lucas Ferreira de Melo, Saulu Pena de Oliveira, Vítor Soares de Sales, Fabrício Nicolau Pedrosa Farias, Matheus Pena de Oliveira, Hugo Michaelis Sequeira Santos, João Pedro Medeiros Kubit, Paulo Neviani Equi e Anderson dos Santos Araújo), em 6’11”
3º Vasco da Gama A (Jefferson Luiz Meira dos Santos, Vinícius da Silva Marques, Matheus Freitas de Souza, Matheus Cardoso da Silva Paulino, Brenner Chagas de Mello, Carlos Henrique dos Santos Gomes Machado, Wallace Miranda Correia dos Santos, Paulo Sillas Marques Aguiar e Raimundo Eduardo Ximenes de  Oliveira), em 6’30”

2ª REGATA

2 SEM – PESO LEVE S23 – 2.000M
BOTAFOGO B (Guilherme Ricardo Gomes e Daivid Faria de Souza), s/ tempo
Botafogo A (Marciel Morais Souza e Felipe Soares da Silva), s/ tempo
3º Flamengo A (Saulu Pena de Oliveira e Paulo Neviani Equi), s/ tempo

SINGLE SKIFF – INFANTIL – 500M
1º BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria), s/ tempo
Botafogo B (Daniel Nascimento de Farias), s/ tempo
3º Flamengo A (Richard Freitas Hilbert), s/ tempo

SINGLE SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M
BOTAFOGO A (Lucas Vertheim Ferreira), s/ tempo
2º Flamengo A (Lucas Tarrago Carvalho Vieira), s/ tempo
3º Botafogo B (Gabriel de Thuim Ribeiro da Gama), s/ tempo

DOUBLE SKIFF – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista e Carlos Alberto Ferreira Santos), s/ tempo
2º Vasco da Gama A (Matheus Freitas de Souza e Thiago Francisco da Silva), s/ tempo
3º Flamengo A (Ítalo Barbosa de Miranda e Neemias Marques Aguiar), s/ tempo

FOUR SKIFF – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista, Daniel Afonso Kelly da Silva, Bernardo Timm Boggian e Carlos Alberto Ferreira Santos), em 6’20”
2º Vasco da Gama A (Thiago Francisco da Silva, Wallace Miranda Correia dos Santos, Carlos Henrique dos Santos Gomes Machado e Matheus Freitas de Souza), em 6’31”
3º Flamengo A (Ítalo Barbosa de Miranda, Neemias Marques Aguiar, Igor Nunes Cunha e Marcus Vinicius Nunes Oliveira e Silva), em 6’33”

8 COM – PESO LEVE – 2.000M
BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva, Célio Dias Amorim, Guilherme Ricardo Gomes, Daivid Faria de Souza, Emanuel Dantas Borges, Diego Donizette Nazário, Marciel Morais Souza, Felipe Soares da Silva e Tiago de Melo Castro), em 5’56”
2º Flamengo A (Thiago Almeida, Saulu Pena de Oliveira, Willian Karllos Giareton, Thiago Pereira de Carvalho, João Hildebrando Borges Júnior, Fernando Henrique Gomes Nunes, Vicente Leal Ewerton Fernandez, Paulo Neviani Equi e Maurício de Abreu Carlos), em 6’03”
Botafogo B (Vinícius da Silva Donato, Dickson Grael Macedo, Lucas Tedesco da Rosa, Heitor dos Santos Araújo, Alejandro Yimaz Luy, João Pedro Ferreira Viana, Fellipe Reyson de Souza Xavier, Willian Silva Calixto e Pablo Padovani), em 6’32”

3ª REGATA

DOUBLE SKIFF – PESO LEVE S23 – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista e Daivid Faria de Souza), s/ tempo
2º Botafogo B (Marciel Morais Souza e Felipe Soares da Silva), s/ tempo
3º Flamengo A (Saulu Pena de Oliveira e Paulo Neviani Equi), s/ tempo

SINGLE SKIFF – INFANTIL – 500M
BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria), em 1’58”
2º Botafogo B (Daniel Nascimento de Farias), em 2’04”
3º Flamengo A (Richard Freitas Hilbert), em 2’07”

DOUBLE SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M
BOTAFOGO A (Lucas Vertheim Ferreira e Daniel Afonso Kelly da Silva), em 5’34”
2º Flamengo A (Lucas Tarrago Carvalho Vieira e André Luiz Martins Abreu), em 5’48”
3º Vasco da Gama A (Thiago Ramos Sassela Tripodi e Luiz Oscar Aloise Peres Júnior), em 5’54”
  
SINGLE SKIFF – JÚNIOR – B / FEMININO – 1.500M
BOTAFOGO A (Ruti Santos Barreto), em 6’58”
2º Flamengo A (Milena Matias Viana), em 7’05”
3º Botafogo B (Andressa Resende de Oliveira), em 7’15”

4 SEM – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista, Augustin Suleiman Wambersie, Caio Domênico de Lucena Schettino e Carlos Alberto Ferreira Santos), em 7’13”
2º Flamengo A (Italo Barbosa de Miranda, Renato Cardeal Damasceno, Joachim Louis Charles Maria Mégret de S. D’Etigny e Neemias Marques Aguiar), em 7’34”

Imagem: Hugo Mirandela

4ª REGATA

4 COM – S23 – 2.000M
BOTAFOGO A (Marciel Morais Souza, Felipe Soares da Silva, Guilherme Ricardo Gomes, Daivid Faria de Souza e Pablo Padovani), s/ tempo
2º Flamengo A (Vicente Leal Ewerton Fernandez, Saulu Pena de Oliveira, Paulo Neviani Equi, Vitor Soares de Sales e Matheus Rodrigues Nogueira da Silva), s/ tempo
3º Vasco da Gama A (Jefferson Luiz Meira dos Santos, Matheus Cardoso da Silva Paulino, Vinícius da Silva Marques, Brenner Chagas de Mello e Raimundo Eduardo Ximenes de Oliveira), s/ tempo

DOUBLE SKIFF – PESO LEVE – 2.000M
BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva e Diego Donizette Nazário), em 6’27”
2º Flamengo A (Thiago Pereira de Carvalho e Willian Karllos Giareton), em 6’27”
3º Loureiro A (Ronald César de Sousa Brito e Henrique Vieira Motta), em 6’57”

FOUR SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M
BOTAFOGO A (Lucas Vertheim Ferreira, Bernardo Timm Boggian, Daniel Afonso Kelly da Silva e Gabriel de Thuim Ribeiro da Gama), em 4’43”
2º Flamengo A (Lucas Tarrago Carvalho Vieira, André Luiz Martins Abreu, Bruno Soares de Oliveira e Vitor Delfior Falcon), em 4’55”
3º Vasco da Gama A (Thiago Ramos Sassela Tripodi, Hugo Araujo Andrade de Oliveira, João Gabriel Heizer e Allison Tadeu Pereira Russo), em 5’01”

DOUBLE SKIFF – INFANTIL – 500M
BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria e Daniel Nascimento de Farias), em 1’38”
2º Flamengo A (Richard Freitas Hilbert e Felipe de Albuquerque Sá Schuchmamm), em 1’46”

FOUR SKIFF – PESO LEVE – 2.000M
BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva, Diego Donizette Nazário, Emanuel Dantas Borges e Celio Dias Amorim), em 6’30”
2º Flamengo A (Thiago Almeida, Willian Karllos Giareton, Thiago Pereira de Carvalho e João Hildebrando Borges Júnior), em 6’34”

SINGLE SKIFF – ABERTA – 2.000M
BOTAFOGO A (Anderson Nocetti), em 7’58”
2º Flamengo B (Maciel Costa da Silva), em 8’03”
3º Loureiro A (Ronald César de Sousa Brito), em 8’05”

5ª REGATA

SINGLE SKIFF – S23 – 2.000M

BOTAFOGO A (Guilherme Ricardo Gomes), s/ tempo
2º Flamengo A (Saulu Pena de Oliveira), s/ tempo
Botafogo B (José Antônio Barchilon de Castro), s/ tempo

SINGLE SKIFF – INFANTIL – 500M

BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria), em 1’49”
2º Flamengo A (Richard Freitas Hilbert), em 1’52”
Botafogo B (Daniel Nascimento de Farias), em 1’53”

2 SEM – JÚNIOR – A – 2.000M

BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista e Willian Silva Calixto), em 7’34”
2º Flamengo A (Neemias Marques Aguiar e Ítalo Barbosa de Miranda), em 7’40”

4 SEM – PESO LEVE – 2.000M

BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva, Célio Dias Amorim, Emanuel Dantas Borges e Felipe Soares da Silva), s/ tempo
2º Flamengo A (Thiago Almeida, Thiago Pereira de Carvalho, Fernando Henrique, Gomes Nunes e João Hildebrando Borges Júnior), s/ tempo

DOUBLE SKIFF – S23 – 2.000M

BOTAFOGO B (Daivid Faria de Souza e Guilherme Ricardo Gomes), em 7’01”
2º Vasco da Gama A (Vinicius da Silva Marques e Matheus Freitas de Souza), em 7’07
3º Flamengo A (Samuel Lucas Fereira de Melo e Saulu Pena de Oliveira), em 7’08

SINGLE SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M

BOTAFOGO B (Lucas Vertheim Ferreira), em 6’05”
2º Flamengo B (Lucas Tarrago Carvalho Vieira), em 6’23”
3º Vasco da Gama B (Hugo Araújo Andrade de Oliveira), 6’37”

YOLETE 4X – INFANTIL / FEMININO – 500M

1º BOTAFOGO A (Isabella Constanza Ibeas, Thalita Rosa Soares, Luiza Telles de Andrade, Nina Secchin Moreira Garcia e Larissa Soares da Silva), em 2’17”
2º Flamengo A (Juddy Milla Portela Passos, Mariana Manso, Júlia Lopes da Rocha, Mariana Lima Jordão e Theodora Valente Camara Py), em 2’19”
Botafogo B (Stephanei Carmo da Silva, Júlia Martins de Souza, Aghata Oliveira Ferreira, Raissa Teixeira da Costa e Juliana Silva Almeida), em 2’40”

4 SEM – MASTERS – B – 1.000M

BOTAFOGO A (Rogério Ney Stallone Palmeiro, César Boggian, Luiz Guilherme Barbosa Marzano e Victor Rage Jahara Neto), s/ tempo
2º Flamengo A (Izio Rozentul, Gustavo Henrique Borges da Costa, Lino Câmara de Mello  e Silva e Pedro Linhares de Carvalho), s/ tempo

FOUR SKIFF – ABERTA – 2.000M

BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva, Anderson Nocetti, Emanuel Dantas Borges e Diego Donizette Nazário), s/ tempo
2º Botafogo B (Fabio José Santana Moreira, José Antônio Barchilon de Castro, Helder Quirino D’Avila de Lima e Célio Dias Amorim), s/ tempo
3º Flamengo A (Thiago Pereira de Carvalho, Maciel Costa da Silva, Pedro Henrique Drumond Gondin Meirelles e Willian Karllos Giareton), s/ tempo

8 COM – JÚNIOR – A – 2.000M

BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista, Heitor dos Santos Araújo, Bernardo Timm Boggian, Daniel Afonso Kelly da Silva, Caio Domênico de Lucena Schettino, Willian Silva Calixto, Fellipe Reyson de Souza Xavier, Carlos Alberto Ferreira Santos e Pablo Padovani), em 6’38”
2º Flamengo A (Joachim Louis Charles Maria Mégret de S. D’Etigny, Italo Barbosa de Miranda, Neemias Marques Aguiar, Renato Cardeal Damasceno, Lucas Morais Ribeiro, André Luiz Martins Abreu, Ayrton Franklin Silva Rosa, Marcus Vinícius Nunes Oliveira e Silva e Matheus Rodrigues Nogueira da Silva), em 6’45”

6ª REGATA

4 COM – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO A (Uncas Tales Batista, Willian Silva Calixto, Fellipe Reyson de Souza Xavier, Carlos Alberto Ferreira Santos e Pablo Padovani), s/ tempo
2º Flamengo A (Joachim Louis Charles Maria Mégret de S. D’Etigny, Italo Barbosa de Miranda, Neemias Marques Aguiar, Renato Cardeal Damasceno e Matheus Rodrigues Nogueira da Silva), s/ tempo

4 COM – INFANTIL – 500M
BOTAFOGO A (Luiz Felipe Faria, Daniel Nascimento de Farias, Arthur Penha Corbo, Gabriel de Souza Linhares e Pedro Crespo Monteiro Lima), em 1’52”
2º Flamengo A (Richard Freitas Hilbert, Juan de Souza Araújo, Marcelo Augusto E. Ribeiro, Fabio Khaled Torres Barbosa e Maurício de Abreu Carlos), em 1’56”

FOUR SKIFF – JÚNIOR – B – 1.500M
BOTAFOGO A (Lucas Vertheim Ferreira, Bernardo Timm Boggian, Daniel Afonso Kelly da Silva e Gabriel de Thuim Ribeiro da Gama), em 4’42”
2º Flamengo A (Lucas Tarrago Carvalho Vieira, André Luiz Martins Abreu, Pedro Henrique Alves de Souza Ferreira e Bruno Soares de Oliveira), em 4’44”
3º Flamengo B (Victor Hugo Duarte, Vítor Delfior Falcon, Arthur dos Santos Costa Silva e Roberto M. Mollinedo Hevia), em 5’06”

DOUBLE SKIFF – PESO LEVE – 2.000M
BOTAFOGO A (Ailson Eraclito da Silva e Diego Donizette Nazário), em 6’51”
2ºFlamengo B (Willian Karllos Giareton e Thiago Almeida), em 7’04”

FOUR SKIFF – S23 – 2.000M
BOTAFOGO A (Guilherme Ricardo Gomes, Daivid Faria de Souza, José Antônio Barchilon de Castro e Felipe Soares da Silva), em 6’21”
2º Flamengo A (Saulu Pena de Oliveira, Samuel Lucas Fereira de Melo, Fabricio Nicolau Pedrosa Farias e Paulo Neviani Equi), em 6’ 30”
3º Vasco da Gama A (Vinícius da Silva Marques, Matheus Freitas de Souza, Brenner Chagas de Mello e Jefferson Luiz Meira dos Santos), em 6’ 42”

DOUBLE SKIFF – JÚNIOR – A – 2.000M
BOTAFOGO B (Carlos Alberto Ferreira Santos e Uncas Tales Batista), em 7’ 28”
2º Flamengo A (Neemias Marques Aguiar e e Igor Nunes Cunha), em 7’ 35”
Botafogo A (Willian Silva Calixto e Fellipe Reyson de Souza Xavier), em 7’ 36”

8 COM – ABERTA – 2.000M
BOTAFOGO A (Fábio José Santana Moreira, Anderson Nocetti, Felipe Soares da Silva, Armando Max Conceição Ribeiro, Hélder Quirino D’Avila de Lima, José Antônio Barchilon de Castro, Willian Silva Calixto, Célio Dias Amorim e Tiago de Melo Castro), em 6’ 21”
2º Flamengo A (Maciel Costa da Silva, Pedro Henrique Drumond Gondin Meirelles, Fabricio Nicolau Pedrosa Farias, Samuel Lucas Ferreira de Melo, João Hildebrando Borges Júnior, Paulo Neviani Equi, Thiago Pereira de Carvalho, Saulu Pena de Oliveira e Maurício de Abreu Carlos), em 6’ 24”

video
Aprecie a imponentíssima Taça Itinerante de Campeão Estadual de Remo (vídeo de 60 segundos; a Taça aparece logo no início, à esquerda, e observa-se mais detalhadamente a partir do 10º segundo)

No Cômputo Geral a classificação ficou assim ordenada:

BOTAFOGO FR: 818 pontos [bicampeão estadual]
2º CR Flamengo: 758 pontos
3º CR Vasco da Gama: 188 pontos
4º Escola Naval: 47 pontos
5º CR Campos: 21 pontos

O Botafogo foi campeão, ainda, em seis das oito categorias do campeonato estadual: Júnior A (até 18 anos); Júnior B (até 16 anos); Peso-Leve; Sub-23; Peso-Leve Sub-23; Aberta. Nas competições extra – infantil e master – o Botafogo também se sagrou campeão na categoria infantil.

Campeões do Estado do Rio de Janeiro desde 1898:

ANOS
AGREMIAÇÕES CAMPEÃS
1898
Grupo de Regatas GRAGOATÁ
1899
Clube de Regatas BOTAFOGO
1900
Grupo de Regatas GRAGOATÁ
1901
Clube de Regatas BOQUEIRÃO DO PASSEIO
1902
Clube de Regatas SANTA LUZIA
1903
Clube de Regatas BOQUEIRÃO DO PASSEIO
1904
Grupo de Regatas GRAGOATÁ
1905
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1906
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1907
Clube de Regatas SANTA LUZIA
1908
Grupo de Regatas GRAGOATÁ [4]
1909
Clube INTERNACIONAL de Regatas [1]
1910
Clube de Regatas SANTA LUZIA
1911
Clube de Regatas SANTA LUZIA [4]
1912
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1913
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1914
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1915
Clube de Regatas GUANABARA
1916
Clube de Regatas do FLAMENGO
1917
Clube de Regatas do FLAMENGO
1918
Clube de Regatas SÃO CRISTÓVÃO [1]
1919
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1920
Clube de Regatas do FLAMENGO
1921
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1922
Clube de Regatas GUANABARA
1923
Clube de Regatas GUANABARA [3]
1924
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1925
Clube de Regatas BOQUEIRÃO DO PASSEIO
1926
Clube de Regatas BOQUEIRÃO DO PASSEIO [4]
1927
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1928
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1929
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1930
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1931
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1932
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1933
Clube de Regatas do FLAMENGO
1934
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1935
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1935
Clube de Regatas do FLAMENGO (Liga Carioca)
1936
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1936
Clube de Regatas do FLAMENGO (Liga Carioca)
1937
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1937
Clube de Regatas do FLAMENGO (Liga Carioca)
1938
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1939
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1940
Clube de Regatas do FLAMENGO
1941
Clube de Regatas do FLAMENGO
1942
Clube de Regatas do FLAMENGO
1943
Clube de Regatas do FLAMENGO
1944
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1945
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1946
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1947
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1948
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1949
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1950
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1951
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1952
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1953
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1954
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1955
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1956
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1957
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1958
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1959
Clube de Regatas VASCO DA GAMA1
1960
BOTAFOGO de Futebol e Regatas
1961
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1962
BOTAFOGO de Futebol e Regatas
1963
Clube de Regatas do FLAMENGO
1964
BOTAFOGO de Futebol e Regatas
1965
Clube de Regatas do FLAMENGO
1966
Clube de Regatas do FLAMENGO
1967
Clube de Regatas do FLAMENGO
1968
Clube de Regatas do FLAMENGO
1969
Clube de Regatas do FLAMENGO
1970
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1971
Clube de Regatas do FLAMENGO
1972
Clube de Regatas do FLAMENGO
1973
Clube de Regatas do FLAMENGO
1974
Clube de Regatas do FLAMENGO
1975
Clube de Regatas do FLAMENGO
1976
Clube de Regatas do FLAMENGO
1977
Clube de Regatas do FLAMENGO
1978
Clube de Regatas do FLAMENGO
1979
Clube de Regatas do FLAMENGO
1980
Clube de Regatas do FLAMENGO
1981
Clube de Regatas do FLAMENGO
1982
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1983
Clube de Regatas do FLAMENGO
1984
Clube de Regatas do FLAMENGO
1985
Clube de Regatas do FLAMENGO
1986
Clube de Regatas do FLAMENGO
1987
Clube de Regatas do FLAMENGO
1988
Clube de Regatas do FLAMENGO
1989
Clube de Regatas do FLAMENGO
1990
Clube de Regatas do FLAMENGO
1991
Clube de Regatas do FLAMENGO
1992
Clube de Regatas do FLAMENGO
1993
Clube de Regatas do FLAMENGO
1994
Clube de Regatas do FLAMENGO
1995
Clube de Regatas do FLAMENGO
1996
Clube de Regatas do FLAMENGO
1997
Clube de Regatas do FLAMENGO2
1998
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
1999
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
2000
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
2001
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
2002
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
2003
(sub-judice)3
2004
Clube de Regatas do FLAMENGO
2005
Clube de Regatas VASCO DA GAMA
2006
Clube de Regatas do FLAMENGO
2007
Clube de Regatas do FLAMENGO
2008
Clube de Regatas VASCO DA GAMA [46]
2009
Clube de Regatas do FLAMENGO
2010
Clube de Regatas do FLAMENGO
2011
Clube de Regatas do FLAMENGO
2012
Clube de Regatas do FLAMENGO [50]4
2013
BOTAFOGO de Futebol e Regatas
2014
BOTAFOGO de Futebol e Regatas [6]5

1 Recorde de sequência: CR Vasco da Gama hexadecacampeão (1944-1959).

2 Embora não seja recordista de sequência, o CR Flamengo evidenciou a maior hegemonia do remo carioca ao conquistar 31 dos 33 títulos em disputa entre 1965-1997.

3 O CR Flamengo concluiu em 1º lugar, mas o título foi contestado e ainda não houve decisão judicial.

4 O Mundo Botafogo contabiliza a favor do CR Flamengo os três títulos conquistados na Liga Carioca, organização paralela de remo que resultou das cisões em várias modalidades desportivas. Os títulos devem ser reconhecidos como campeonato carioca, tal como em outras modalidades que tiveram organizações paralelas, pelo que se justifica serem parte integrante das conquistas do CR Flamengo, embora a atual Federação de Remo contabilize apenas 47 títulos ao clube, informando à parte sobre os 3 títulos de 1935-1936-1937.

5 O Botafogo de Futebol e Regatas obteve o seu primeiro bicampeonato em 2013-2014, sob o comando técnico de Xoxô.

Os colchetes [] indicam o último título do clube e o total de títulos conquistados.

R E S U M O   D E   T O D O S   O S   C A M P E Õ E S  E S T A D U A I S

CLUBES
 TÍTULOS
1º Clube de Regatas do FLAMENGO
50
2º Clube de Regatas VASCO DA GAMA
46
3º BOTAFOGO de Futebol e Regatas
6
4º Clube de Regatas GRAGOATÁ
4
4º Clube de Regatas SANTA LUZIA
4
4º Clube de Regatas BOQUEIRÃO DO PASSEIO
4
7º Clube de Regatas GUANABARA
3
8º Clube INTERNACIONAL de Regatas
1
8º Clube de Regatas SÃO CRISTÓVÃO
1

Pesquisa de Rui Moura (blogue Mundo Botafogo)