_______________________________

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Sabia que… as coincidências existem? (84)

Sabia que…
…o Real Madrid venceu a Liga dos Campeões em 2002 e 2014?
…o Ituano venceu o Campeonato Paulista em 2002 e 2014?
…o Botafogo desceu de divisão também em 2002 e 2014?

Há ou não há coincidências?...

Artefatos (15)


BOTAFOGO – um Clube para sempre!

O Botafogo tem um jogador acreano de 13 anos, Leandro Oliveira, que foi notícia de jornal.

Nessa notícia lê-se o seguinte: “Com uma rotina intensa de treinos, o jogador se divide entre a escola e o futebol. Ele lembra que o convite para treinar no Botafogo surgiu quando uma equipe do time o viu jogando e gostou de sua atuação em campo.”

A minha questão é: o que significa “uma equipe do time”?

Estou absolutamente certo que o texto correto seria “uma equipe do clube Botafogo“. Ou será que o Botafogo não é um Clube, mas um time?

Com uma imagem dos 12 maiores clubes brasileiros, pergunta-se frequentemente no facebook (tantas vezes que até enjoa): “Qual time é o seu?” – E a resposta é: “Botafogo”. Ou outro, dependendo do inquiridor.

Portanto, para uma parte da nossa torcida nunca se deve perguntar: “Qual é o seu Clube?” Mas: “Qual é o seu time?

Parece coisa simplória, mas não é. Quem pergunta qual é o time do outro está (provavelmente inconscientemente) excluindo qualquer outra modalidade desportiva que não seja futebol. Para esses, o time é o Clube. Em minha opinião não são propriamente apaixonados pelo Botafogo, isto é, por tudo aquilo que ele representa em dimensão desportiva no seu passado e no seu presente. São apaixonados pelo futebol e escolheram torcer por um “time” pela simples razão que quase toda a gente é, pelo menos, simpatizante de um clube.

É pouco. Manifestamente pouco. De time, muda-se, de Clube, não. Por exemplo, Jairzinho mudou de time, mas não mudou de Clube.

Um 'clube grande' é muito mais do que futebol. É geralmente multidesportivo e, acima de tudo, permite o exercício do clubismo, que é algo dificílimo de explicar. Pelo mesmo clube, somos amigos. Pelo mesmo clube, vamos juntos aos eventos desportivos. Pelo mesmo clube, dançamos em bailes sociais. Pelo mesmo clube, desfrutamos de churrascadas ao ar livre. Pelo mesmo clube, choramos e sorrimos. Pelo mesmo clube, vaiamos e batemos palmas. Todos juntos.

Eu gosto muito mais do Botafogo do que de futebol. Que Viva para sempre o meu Clube Botafogo de Futebol e Regatas!

Futmedíocre (1): O nome de Botafogo de Ribeirão Preto foi uma homenagem ao Botafogo Football Club

Comentário efetuado hoje

Otário, grandíssimo analfabeto e estúpido até às últimas consequências da debilidade mental é você. O portal do BFC de Ribeirão Preto reproduzia a ata da fundação onde está registrada a designação do clube por homenagem ao conhecidíssimo e muito prestigiado Botafogo do Rio de Janeiro à época da fundação do clube paulista.

Certamente por razões meramente de ‘regionalismo’ mais uma vez adulteraram a verdade, o que é muito típico do futebol brasileiro minado de aldrabões e vigaristas desportivos a par de resultados e títulos imensas vezes decididos no apito e nos bastidores. Qualquer clube tem no seu portal a sua ‘história’. O Botafogo de RP tinha uma rubrica com a sua história e a referência ao Botafogo Football Club. Foi retirada a história do clube. Para não se ocultar a verdade, ou não ter que se optar pela mentira.

Desafio o Botafogo Futebol Clube de Ribeirão Preto a reapresentar no seu portal o fac-simile da ata de fundação. A bem da verdade desportiva!

Por sorte, o portal do esporte.ig.com.br, ao contar a história do BFC do Rio de Janeiro, cita as homenagens dos dois Botafogo de Ribeirão Preto e de João Pessoa ao Botafogo do Rio de Janeiro e a adoção do nome. O de João Pessoa introduziu mais tarde a estrela vermelha para se distinguir do Botafogo RJ, mas não adulterou a origem do nome de fundação, enquanto o Botafogo RP decidiu recentemente eliminar do seu portal a referência que fazia sobre o registro na ata de fundação na qual se encontrava expressamente escrito que o nome foi uma homenagem ao Botafogo Football Club.

Por maior sorte ainda, um estudo da Universidade Estadual Paulista sobre a estrutura de gestão do Botafogo de Ribeirão Preto, dado a público durante o Congresso Internacional de Administração, que ocorreu de 22 a 26 de Setembro de 2014, no Cine Teatro Ópera de Ponta Grossa (PR), e já publicado pelos seus autores (Pedro Bressan, Adriano Lucente e Roberto Louzada), faz justamente referência aos termos da ata que constava do portal do Botafogo RP e na qual se lia que devido a não se conseguir unanimidade no que respeita à designação do novo clube, um fundador chateado disse que “eu boto fogo em todos os documentos e a fusão fica desfeita” (o Botafogo RP nasceu da fusão de três clubes). Então, veio à luz o nome do Botafogo Football Club e, dado o prestígio do clube em todo o País, os presentes concordaram unanimemente em homenagear o Botafogo RJ e adotar o nome. Está escrito assim mesmo na ata da fundação.

As listras vermelhas, pretas e brancas do escudo do Botafogo Futebol Clube de Ribeirão Preto são uma composição: as listras pretas e brancas são um alusão ao BFC do RJ; as listras vermelhas são uma alusão a ‘fogo’.

Camaradas de escudo, confesso que nem sei porque escrevi tanto (acho que foi mais para vossa informação do que resposta ao comentário tolo), já que normalmente limito-me a suprimir os comentários mentalmente débeis como aquele a que respondo, mas talvez até seja porque o seu autor, na sua enormíssima estupidez e analfabetismo ético não sabe, mas eu informo-o, que nunca faço publicações deste tipo sem me respaldar em fontes devidamente validadas.

Haja paciência para tanta estupidez e idiotice!

domingo, 25 de janeiro de 2015

Artefatos (14)


Sabia que… o intestino possui 86 bilhões de neurônios? (83)

O intestino possui, em média, 86.000.000.000 (86 bilhões) de neurônios. Por isso, passou a ser chamado de 2º cérebro. Aliás, a semelhança física entre o cérebro e o intestino verifica-se através das dobras e sulcos do cérebro, que lembram bem o jeito das dobras e sulcos dos intestinos, embora ambos ajam de maneira autônoma.

Existe uma débil ligação entre os neurônios do cérebro e os do intestino, feita por uns poucos neurônios que ligam ambos através de uma espécie de ‘ponte’, mas mantendo-se a autonomia de ambos.

Dir-se-á que essa ligação serve para comprovar que, afinal, o cérebro botafoguense age de forma autônoma mas não é completamente perfeito, porque tem uma ligação, embora muito frágil, com a ‘inteligência intestinal’.

Fica assim descoberto que a nossa não perfeição absoluta liga-se a esses quantos neurônios que fazem a dita ‘ponte’, e por isso às vezes pensamos mal. Fica também descoberto que a ‘inteligência intestinal’ tem um mínimo de neurônios inteligentes dados pela ‘ponte’ que chega do cérebro.

Fica também esclarecido o mistério do incipiente raciocínio evidenciado pelos dirigentes e adeptos dos dois maiores clubes rivais do Botafogo de Futebol e Regatas - a dupla fla x flu -, que sempre nos odiaram por nunca terem alcançado a honra e a elevação moral que sempre guiou a vida botafoguense.

PS: Para mais informações faça uma busca em ‘neurônios intestinais’ na Internet.

Botafogo: o cenário inicial da equipe de futebol

Imagem: Portal BFR / Reprodução

Em minha opinião, tendo em conta os adversários que defrontamos em três jogos de preparação, foram muito fracos os resultados e o desempenho. Todavia, li alguns comentários que consideram que a equipe evoluiu e que está no bom caminho. Admito que talvez tenha havido alguma evolução se considerarmos que temos um time com jogadores de segunda divisão.

Porém, o tira-teimas chegará com o início do campeonato carioca, e a equipe afina-se e marca gols, ou teremos desilusões talvez inesperadas. Na verdade, o que ocorreu foi que na ‘zona de definição’ os nossos atletas falham. E falham excessivamente.

Em futebol, nos dias de hoje, é a eficácia que conta. A eficiência pode ser muito boa, mas se o ataque não produzir gols, de nada serve a eficiência. O que me parece, pelo que li, é que além do entrosamento não ser o melhor – logo, a eficiência é fraca – também a eficácia goleadora, tendo em consideração a fraqueza dos adversários, está muito aquém do desejado.

Esperemos melhor, mas, em boa verdade, todos os comentários positivos que tenho lido ‘cheiram-me’ a botafoguenses já meio acomodados a uma equipe de 2ª divisão, e se isso ocorrer, o ano poderá não ser bom.

Faço votos sinceros para que tenhamos um bom ano, no qual possamos vislumbrar a reconstrução de um time esfacelado em final de 2014 – mesmo que não tenhamos títulos. O presidente diz que não se envergonha de vir a ter um título de campeão da 2ª divisão. Eu compreendo o que ele quer dizer, mas no meu íntimo prefiro que a equipe mostre evolução e alguma consolidação para 2016, mesmo que nada conquiste em 2015 – porque o essencial é subir de divisão e fazê-lo com uma espinha dorsal já meio consolidada para 2016. Quer dizer, metade do time titular deveria estar em condições de transitar para 2016 mantendo a titularidade, acrescido de novas contratações para compor a outra metade do time.

Por mim, dispenso comemorar títulos de 2ª divisão. Não estou menosprezando os clubes médios e pequenos que conquistam essa competição, mas confesso que certamente não será grande orgulho para clubes com as tradições do Palmeiras, Grêmio, Corinthians, Atlético Mineiro ou Vasco da Gama terem sido campeões da 2ª divisão (e o Palmeiras até foi bi). É um campeonato mais para Coritiba, Criciúma, Inter de Limeira, Paysandu, Paraná, Joinville, Londrina, etc.

Eis a fraca campanha de preparação, cujo saldo foi numericamente negativo:

» Botafogo 0x1 Gonçalense
» Botafogo 2x0 Barra Mansa [Gols: Bill e Sassá]
» Botafogo 0x1 Shandong Luneng (China)

Espero que me surpreendam positivamente os desempenhos de Antônio Mantuano, Antônio Lopes, René Simões, Bill, Pimentinha e demais ‘compras’ recentes. Espero mesmo, porque preciso urgentemente de ser convencido da correção do nosso caminho. Precisamos disso não somente para subir de divisão mas para dotar o nosso departamento de futebol do profissionalismo que lhe falta há décadas. E cujos fundamentos são essenciais para que possamos tornar a brilhar no futebol brasileiro e, quiçá, num futuro um pouco mais distante, no futebol continental.

Sporting 1x0 Académica

Imagem: João Mário, autor do gol - jornal A Bola

Este ano tem sido tradição o Sporting apresentar dificuldades de ganhar em casa. Hoje, os Leões tiveram 71% de posse de bola e Rui Patrício não fez uma única defesa. Em suma, o Sporting matraqueou a defesa adversária, mas o ‘ônibus’ que os academistas colocaram em frente da baliza foi difícil de ultrapassar. Somente aos 76 minutos foi inaugurado o marcador com o gol de um homem do meio campo, que já comemorou por seis vezes gols seus nesta temporada.

Os adversários reconheceram a enorme superioridade Leonina e declararam que a vitória foi justa. Tratou-se da quinta vitória sucessiva do Sporting no campeonato nacional, acumulando agora 11 vitórias, 6 empates e apenas 1 derrota – 72% de aproveitamento.

Entretanto, o segundo classificado, FC Porto, foi perder fora de casa e o Sporting encontra-se apenas a um ponto do Porto. E como os orçamentos e os plantéis de ambos são tão diferentes…

Na medida em que o Benfica será o campeão – porque as arbitragens têm garantido a conquista dos três pontos jogo após jogo, mediante ‘erros’ sucessivos – o ideal mesmo seria o Sporting terminar em 2º lugar, o que daria novamente acesso direto à Liga dos Campeões.

FICHA TÉCNICA
Sporting 1x0 Académica
» Gols: João Mário, aos 76’
» Competição: Campeonato português
» Data: 25.01.2015
» Local: Estádio Alvalade, em Lisboa
» Público: 37 764 espectadores
» Árbitro: Rui Costa (Porto); Assistentes: Miguel Aguilar e João Silva; 4º Árbitro: Bruno Esteves
» Disciplina: cartão amarelo: Adrien Silva, Nani e Jefferson (Sporting); Iago, Fernando Alexandre, Nuno Piloto e Ofori (Académica)
» Sporting: Rui Patrício; Cédric, Paulo Oliveira, Tobias Figueiredo e Jefferson (Miguel Lopes); João Mário, William Carvalho e Adrien Silva (Tanaka); Carrillo (Carlos Mané), Fredy Montero e Nani. Técnico: Marco Silva.
» Académica: Leo; Iago (Rui Pedro), João Real, Aníbal Capela e Ricardo Nascimento; Obiora (Marcos Paulo) e Fernando Alexandre; Magique (Lucas Mineiro), Nuno Piloto e Ofori; Rafael Lopes. Técnico: Paulo Sérgio.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Voz de Cuca

Imagem: Vitor Silva / SSPress

“A torcida do Botafogo é a mais apaixonada, senão não tinha como torcer pro Botafogo.” – Alexis Stival, o ‘Cuca’, homenageado pelo Clube a propósito do amistoso Botafogo x Shandong Luneng.

Série: sabia que... foi Maguregui que inventou a tática do ônibus? (82)

José María Maguregui (nasceu em Miravalles, Vizcaya, 16 de março de 1934; faleceu em Bilbao, Vizcaya, 30 de Dezembro de 2013) foi o inventor da tática do ‘ônibus’ (designação brasileira) ou ‘autocarro’ (designação portuguesa), que consistia em colocar vários defesas, volentes e meio campistas dentro e em frente da pequena área para evitar sofrer gols quando a sua equipa estava em vantagem ou quando o adversário era muito mais forte. Chama-se a isso a tática defensiva de ‘estacionamento do ônibus’ ou do ‘autocarro’ em frente ao gol.

Outra característica era a de mandar regar o relvado até ficar encharcado, mesmo quando os dias eram de Sol para dificultar a vida aos adversários e aproveitar o preparo físico das suas equipas. A marcação cerrada homem a homem a craques e até a times inteiros adversários, era outra das suas táticas.

Maguregui nasceu e morreu na Vizcaya, jogou e treinou sempre em Espanha e nunca foi campeão como treinador.